Compartilhar, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Posted in:

Alimentação infantil – tudo que uma mamãe precisa saber

Você também fica se perguntando por que as crianças (a grande maioria!) dão tanto trabalho para comer?

A alimentação infantil sempre foi e sempre será um desafio para as mamães. Portanto, acalma-se! Existe explicações para isso, e você verá logo mais, aqui no artigo.

Eu sei MUITO BEM o quanto é complicado ficar com o prato na frente da criança, enquanto ela faz um escândalo digno de filme de terror. Ou então, ela se retrai e simplesmente não abre a boca de jeito nenhum!


Veja também, porque é uma boa ideia fazer parte de um grupo de mães no WhatsApp! 😉


Por isso, pesquisei bastante sobre esse grande transtorno na vida das mamães (já que muitas mães sempre me perguntam sobre como lidar com a alimentação…), e elaborei esse artigo para te explicar que:

  • A grande maioria das crianças passa por essa fase;
  • Isso é normal;
  • A criança não vai morrer se não comer tudo que nós pensamos que ela tem que comer;
  • Vai passar;
  • Todas nós entendemos e compartilhamos o seu desejo de ver seu filho comendo bem! 🙂

Portanto, aguente firme aí, leia o artigo e descubra como lidar com essa situação da melhor forma.

mamae_superpoderosa_alimentacao_infantil_crianças
É muito comum que todas as mães se preocupem em oferecer uma alimentação saudável para seus filhos

A alimentação infantil costuma ser um drama para as mães

Uma vez uma amiga me disse: “Cada criança tem a sua forma de ‘causar’ no mundo. E cada mãe tem sua forma de lidar com isso.”

Algum tempo depois, eu concluí que a forma de causar da minha filha é comer apenas o estritamente suficiente para a sobrevivência e a sua própria satisfação.

Digo isso porque, hoje, quase dois anos depois que nos conhecemos (muito bem, por sinal!), já aprendi a lidar com ela e com as decisões que ela ACHA que sabe tomar…

Começou quando ela mamava no peito. Ainda bebezinha, em um belo dia, ela decidiu fazer graça: empurrava meu peito e me olhava com aquela cara de sapeca. Ainda não falava (claro!), mas se falasse diria: “eu só mamo se/como/o quanto eu quiser, tá!”.

mamae_superpoderosa_alimentacao_infantil_menino_emburrado
A verdade é que a grande maioria das crianças dá trabalho na hora de comer

Depois veio a introdução alimentar: frutinhas, papinhas, sucos e afins. A danada fazia caras e bocas, colocava para dentro e para fora, sorria e chorava.

Tanto que eu passei um bom tempo para conseguir responder àquela pergunta clássica: “Qual é a fruta que ela mais gosta?”

E quando ela ficava resfriada, com aquele nariz todo entupido, sem sentir o cheiro e o gosto das coisas? Comer? Para quê, minha gente? Comer é luxo! Eu que administrasse da melhor forma a minha ansiedade de achar que ela ia morrer de fome…

Bebês não morrem de fome por livre e espontânea vontade

Enfim, com todos esses dramas diante da alimentação difícil com a pequena, uma coisa eu aprendi: bebês nunca morrem de fome espontaneamente, ok? Se ele tiver com fome, ele vai berrar.

O problema é que na grande maioria das vezes, nós só “descobrimos” isso, ou só nos damos o luxo de acreditar nisso, depois que a criança já cresceu, passou dessa fase e está comendo melhor.

Ou seja, sofremos de montão tentando fazer a criança comer, de qualquer maneira.

Isso, por medo de ficar doente, magra, feia, desnutrida, raquítica, nos acusarem de maus tratos e chamarem o conselho tutelar, simplesmente porque ela não come tudo que PENSAMOS que ela PRECISA comer… bobeira tremenda!

Educação alimentar infantil – o que uma mãe precisa saber

Apesar de parecer a coisa mais natural do universo: dar comida para a criança não ficar com fome; saiba que não é algo tããão simples assim.

Pensa só: você vai ensinar tantas coisas para a criança, que são novas para ela, então por que seria diferente com a alimentação?

Por isso, há questões das quais você precisa estar ciente, seja para não sofrer mais diante da quantidade que seu filho come, ou para, desde já, ensiná-lo a comer bem, de verdade.

Ensinando uma alimentação saudável para a criança

Mesmo antes de ser mãe, sempre me preocupei em comer bem e de forma saudável, fazendo a escolha certa de alimentos e blá blá blá… Consequentemente, não foi nenhum esforço manter esse ritmo na alimentação da minha filha. Ao contrário, é natural.

Hoje, ela come o que comemos, sem frescuras: frutas, legumes, carnes, peixes, ovo, leite e derivados, além daquilo que criança gosta e mãe não deixa. Come de tudo e come tudo.

E é nessa questão de tipo de alimentos que a criança quer comer, que entra outro embate alimentar: as crianças têm uma tendência a escolher os alimentos menos saudáveis (no entanto, os mais “sedutores” para elas…).

Mas há uma explicação para isso, que eu vou te contar na parte de Mitos e Verdades. Por isso, é preciso ter paciência e assim como começamos a educar a criança na parte cultural e social, desde cedo, é preciso iniciar a educação alimentar dela também.

A criança não precisa comer grandes quantidades

Tem criança que come pouco, muito pouco. Comem o suficiente para manterem-se vivas e ponto. É só a comida quentinha bater no estômago e já está bom… Tem mãe que insiste, mas também não é bom empurrar.

Afinal, o tamanho do estômago de uma criança equivale ao tamanho da mãozinha dela fechada. Faça o teste e veja só que pequeno é. Portanto, o tanto que a criança quer comer, provavelmente é o tanto que ela precisa mesmo.

Claro que se ela comer um grãozinho de comida, é preciso sim dar uma insistida. Mas, evite forçá-la a comer mais, só porque você quer se orgulhar dizendo que ela comeu “um pratão”.

Até porque, forçá-la pode fazer com que ela fique ainda mais resistente à comida, e passe a ver a hora de comer como um momento ruim.

Há coisa pior do que você não querer comer e alguém ficar empurrando comida na sua boca? Depois a criança trava a boca, não come nem por decreto e a mãe fica se perguntando o porquê?

Uai, porque você empurrou e a experiência foi ruim. E esta criança não é boba, ela tem memória.

Mitos e verdades sobre alimentação infantil

Diante desse sufoco que é alimentar os filhos de maneira correta e coerente com a idade deles, sempre surgem diversas máximas por aí, que explicam porque a criança come pouco, porque isso e porque aquilo.

Por isso, listei aqui algumas dessas questões, para te dizer a real sobre elas:

  • Criança gosta mais de coisas doces porque sentem mais o sabor doce.

    • Verdade! Sim, minha amiga mamãe super poderosa! E há uma explicação científica para isso! Acontece que o paladar do ser humano se desenvolve em estágios. Durante a infância, o desenvolvimento das papilas gustativas (que é a parte do nosso corpo que nos permite sentir os sabores) estão em pleno desenvolvimento. Logo, as crianças têm o paladar muito mais aguçado do que os adultos, e por isso, elas sentem os sabores com mais intensidade, tanto o doce como o amargo, por exemplo. Isso explica porque as crianças amam açúcar e tendem a não gostar de alimentos como espinafre e escarola, que são mais amargos.
  • Quanto mais a criança comer, melhor.

    • Mito. Na verdade, isso pode ser um problema no futuro. Há muitas mães que acham que o filho precisa se entupir de comida e isso é motivo de orgulho. No entanto, esse hábito pode acabar desencadeando uma compulsão alimentar, e consequentemente, a obesidade.
  • Quando a criança não quer comer a comida, é melhor dar o que ela quer comer.

    • Depende. Isso depende da situação. Se a criança estiver doente, por exemplo, é melhor que ela coma sim alguma coisa que ela queira comer, pois, a falta de alimentação pode fazer com que ela demora mais para se recuperar. No entanto, se você tiver esse hábito de sempre dar o que  seu filho quer comer, ele aprenderá rapidinho que não precisa comer o que você quer que ele coma, pois, ele sempre consegue comer o que ele quer.

Alimentação infantil: Como criar uma rotina alimentar dos filhos

Algumas dicas são fundamentais para que você consiga criar uma rotina alimentar adequada com os seus filhos. São elas:

  • Procure ter as principais refeições prontas (café da manhã, almoço e jantar) sempre no mesmo horário. Isso fará com que as crianças se habituem ao horário das refeições e seus organismos estarão prontos para refeição nos horários certos;
  • Não alimente seus filhos em frente à TV ou enquanto brincam no tablet ou celular. Apesar de ser bacana ver que eles estão comendo tudo, eles acabam comendo sem perceber e isso retardará ainda mais o interesse deles pelos alimentos.
mamae_superpoderosa_alimentacao_infantil_menina_celular
Por mais que facilite, não é uma boa ideia alimentar a criança enquanto ela distrai com a TV ou celular
  • Evite dar lanchinhos para as crianças, perto dos horários das refeições. Isso fará com que elas não comam a comida;
  • Ensine os seus filhos que as coisas que eles gostam de comer podem ser consumidas de vez em quando, e durante os lanchinhos. Na hora da refeição, o que for servido à mesa é o que será consumido;
  • Sirva as refeições à mesa e faça com que toda a família se sente à mesa para as refeições. Mesmo que isso seja possível somente em uma das refeições do dia, é muito importante.
mamae_superpoderosa_alimentacao_infantil_menina_comendo_mesa
Colocar a criança para comer à mesa junto com a família, é o correto

A alimentação correta das crianças de acordo com a faixa etária

É de suma importância manter uma alimentação adequada e coerente com a idade do seu filho. Assim como não é uma boa ideia oferecer alimentos como embutidos para o um bebê, não é adequado dar papinha para uma criança de 5 anos.

Por isso, é sempre muito importante oferecer a alimentação adequada conforme seu filho for crescendo. Lembrando que apesar da idade, nem todos os alimentos são bons para a saúde. Por isso, é bom evitar.

Se você tiver alguma dificuldade em relação a isso, o pediatra do seu filho pode te ajudar ou mesmo encaminhá-lo para o nutricionista.

Alimentação infantil: cuidado com a obesidade na infância

A obesidade infantil tem se tornado um problema sério em vários países, inclusive no Brasil.

Isso tanto devido a quantidade imensa de alimentos ruins que tem caído no gosto da molecada, quanto por distúrbios que fazem a criança comer demais, como a ansiedade.

Tudo isso é reflexo de uma sociedade que cada vez mais adere as “facilidades do dia a dia”, deixando de lado os itens primordiais de uma vida feliz e saudável.

Reunir a família à mesa para fazer as refeições e cozinhar para a família ao invés de comprar fast-food, são exemplos disso.

Por isso, fique atenta e procure restringir a quantidade e os tipos de alimentos que seu filho consome. Além disso, evite forçá-lo a comer quando pequeno. Cuidado com o que pode virar hábito ruim.

Como introduzir uma alimentação infantil saudável

Algumas ideias bacanas para te ajudar com a alimentação infantil saudável, são:

  • Coma os alimentos que você quer que seu filho coma. Lembre-se que nós somos os exemplos deles, e melhor do que falar, é demonstrar.
  • Evite oferecer alimentos que não são saudáveis para o seu filho. Eu costumo dizer que essas coisas, eles aprenderão a consumir sozinhos, quando maiores. É inevitável. Por isso, o quanto mais você habituá-lo a comer de maneira saudável, melhor.
  • Faça com que seu filho participe na hora de comprar e de preparar os alimentos. Isso fará com que ele se interesse mais.
mamae_superpoderosa_alimentacao_infantil_menina_cozinheira
Envolver os filhos no preparo da refeição é uma maneira de fazê-los conhecer e se interessar pelos alimentos
  • Quando seu filho não aceitar algum alimento, espere alguns dias para oferecer novamente e tente mudar a maneira de oferecer. Por exemplo: se for mandioquinha cozida, tente oferecer um purê.
  • Respeite as preferências do seu filho. Tenho certeza de que você também não gosta de todos os alimentos. Por isso, se ele já provou algumas vezes e não gostou, está tudo bem.
  • Varie nos alimentos que você oferece para as crianças.
mamae_superpoderosa_alimentacao_infantil_menino_comendo
Quando uma criança come bem é preciso incentivá-la, oferecendo novos sabores para que ela prove

Dicas de alimentação saudável para crianças

Amiga, por mais que haja um montão de itens no supermercado, que pareçam maravilhosos para saúde dos seus pequenos, não se deixe enganar. É preciso ficar atenta quanto aos alimentos que você oferece para seus filhos.

Veja algumas dicas para a alimentação infantil saudável:

  • Quanto mais natural, melhor. Use e abuse dos vegetais e demais alimentos naturais;
  • Os bebês não precisam de sal e açúcar até por volta de 1 ano. Por isso, você pode evitar a introdução desses itens na alimentação do seu filho, ou colocar o mínimo possível, para acostumá-lo a sentir mais o sabor dos alimentos;
  • Criança costuma adorar macarrão. No entanto, macarrão é rico em carboidrato e carboidrato engorda. Por isso, cuidado;
  • Evite adoçar os sucos das crianças. Isso fará com que elas associem que as frutas sempre deverão ser doces como os sucos, e consequentemente, quando comerem uma fruta que não for tão doce, rejeitarão.

Alimentação infantil: o que fazer quando a criança não quer comer

A dica principal aqui para ajudar na alimentação infantil é: mantenha a calma e não force! Isso vai passar, afinal é uma fase em que ela está aprendendo a variedade de alimentos e as regras sobre quando, como e porque comer.

Lembre-se que nenhuma criança morre de fome por livre e espontânea vontade. Além disso, o fato de forçar, pode fazer com que ela pegue mais birra ainda da comida.

Por isso minha amiga, conte até cem e simplesmente diga que tudo bem, e que quando ela sentir fome aquela comida estará disponível.

Pois, se quando ela sentir fome você der outro alimento, como algum que ela goste, provavelmente ela aprenderá a não comer a comida para comer o que quer depois.

Conclusão: Mais tranquila em relação a alimentação infantil?

Eu fico tão incomodada com essa quase obrigação de que os bebês tenham dobrinhas,  de que as crianças precisam sentar à mesa e bater um prato colorido (Oi?).

De que a mãe deve fazer malabarismos, criar cardápios gourmet, ter pratos cheios de desenhos e talheres de outro planeta… Peloamordedeus! Um pratinho básico com arroz, feijão, bife e purê de batatas já está ótimo!

São muitas regras, muitas causas e consequências, que deixam insana qualquer mãe normal.

Se tem uma coisa que faz aumentar a culpa das mães diante da alimentação infantil dos filhos, é exatamente isso: “meu filho não come, mas deveria comer igual ao do comercial”.

Não pense que você é uma mãe ruim porque seu filho não come

É preciso muito autoconhecimento e sessões de autoanálise para desvincular a alimentação do seu filho do amor, carinho e cuidado que você tem por ele.

Uma coisa não tem nada a ver com a outra, mas vai dizer isso para uma mãe que não sabe mais o que faz para ver a filha comendo bem.

Vai dizer isso para uma mãe que tem um filho com alergia alimentar severa, com restrições para comer aquilo que outras crianças comem se deliciando na frente dele! Não é fácil, não…

Li livros,  ouvi experiências de outras mães, nutricionistas e pediatras. Nada me ensinou mais do que o dia a dia com a minha pequena-quase-grande-menina. Ela já tem o jeitinho dela, os gostos dela e as vontades dela.


Outros temas bastante discutidos entre as mamães e que você vai gostar de saber:


Aprendi a reconhecê-los e a respeitá-los. E, assim, temos feito progressos. Quando o momento de comer fica mais leve, para a gente descobre que para ser bom mesmo não precisa ser tão complexo!

Por isso, fique tranquila, que quando você ver seu filho estará comendo super bem! Vamos em frente mamães!

E não esqueça de deixar aqui as suas dúvidas sobre alimentação infantil e opiniões sobre o artigo! 🙂

Baixe gratuitamente o ebook sobre os marcos de desenvolvimento dos bebês

Um ebook bacaninha para você!

Falando de outro desespero na vida da mãe, uma coisa que me ajudou muito foi saber os marcos de desenvolvimento do bebê.

Assim, pude observar melhor a minha filha, desde o primeiro mês, sabendo exatamente como eu devia me preocupar e direcionar as conversas com o pediatra.

Por conta disso, reuni as principais informações sobre os marcos de desenvolvimento para facilitar a sua vida.

Você pode baixá-lo gratuitamente aqui ➡ http://bit.ly/desenvolvimento-do-meu-bebe ⬅.

Beijos,

 

Juliana Sá e Olívia - Mamãe Super Poderosa

Jú Sá

Blog Mamãe Super Poderosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *