Compartilhar, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Posted in:

3 coisas para não esquecer na relação homem e mulher depois da maternidade

Tudo muda e vira de ponta cabeça com a chegada do bebê e, claro, isso inclui a relação entre marido e mulher.

Não dá para esconder, nem fingir. A mulher que antes era esposa dá lugar a mulher-mãe-esposa e isso impacta diretamente em como ela se enxerga e percebe o parceiro (e vice-versa). Não é a toa que muitos casais se separam antes do primeiro ano de vida da criança.

mamaesuperpoderosa-mae-telefone-filho

O tranco é forte. A rotina muda, as prioridades mudam, o corpo muda, a cabeça muda, a vida muda!

Mas nem por isso a gente precisa jogar a toalha e desistir de tudo, abandonar a relação, esquecer do amor, respeito e admiração que levaram vocês a viver esse novo momento.

mamaesuperpoderosa-melhor-ocupada-em-casaÉ possível, sim, construir uma nova vida tão especial quanto a que existia antes do bebê nascer. A mulher tem a tendência a priorizar e focar 100% da sua atenção na criança, deixando o marido naturalmente de lado.

Claro, é preciso considerar que estamos falando de duas necessidades diferentes: de um bebê que depende completamente da mãe para fazer tudo e de um adulto, homem, já criado e bem resolvido, que pode muito bem se virar sozinho.

Então, depois de passar por períodos de altos e baixo na relação com o marido, percebi que três coisas precisam estar sempre na minha cabeça: Primeiro, encarar o fato de que a relação mudou, evoluiu, e que isso é muito importante para o fortalecimento da família.

O casal precisa e, com um pouco de boa vontade, consegue se ajustar para este novo momento familiar. A gente passa mesmo por dias péssimos, que tem vontade de chutar o balde.

Mas nessas horas, precisa respirar fundo e exercitar a paciência (opa, ela vem em doses maiores, junto com o pacote da maternidade, lembra?).

Se estressar com ele só vai piorar as coisas, dê tempo ao tempo e esteja consciente de que a fase punk vai passar, há luz no fim do túnel e quando você começar a enxergar essa luz a retomada da relação acontece, pode apostar.

Segundo, é fato que a mulher fica por um tempo apagada depois do parto. É perfeitamente normal e por quê não se dar ao direito de viver esse momento, no seu tempo, com toda dedicação que ele merece?

Como já falei aqui, são muitos hormônios e muitas novas questões para lidar. Aquela mulher sexy, poderosa, com barriga ok, cabelos tratados, unhas feitas e corpo legal deu lugar à mãe que amamenta, não dorme direito e tem vontade de chorar o tempo todo.

Mas isso é só por um período, aos poucos as coisas vão se encaixando e você consegue retomar (em partes!) a rotina de cuidados que tinha com você mesma e com o marido.

Agora, muito importante saber dosar a medida: não precisa se entregar e cair no fundo do poço, nem supervalorizar a relação.

Não dá para ter a mesma vida de antes, mas também não é porque você não está com tudo no lugar que ele não vai gostar de você, nem te desejar como antes.

Terceiro e último: o filho não é só de um. Marido está no barco junto com você, nunca se esqueça disso.

Quando passei por uma situação complicada logo depois da minha filha nascer, uma amiga me ensinou uma boa estratégia para contornar a carência do marido: incentivar a participação dele nas tarefas com a criança e envolvê-lo em todas as decisões, mesmo que fosse apenas pró-forma.

Tem marido que já nasce sabendo ser pai. Tem marido que precisa de ajuda, orientação, exemplo. Com o meu, aprendi a não exigir tanto e não querer tudo tão perfeito.

Tem um jeito excelente de trocar a fralda e passar a pomada? Tem! Mas o marido tem o jeito dele, faz bagunça, faz sujeira e fica bom também. No fim, ainda me tirava uma função!

Elogio, incentivo e demonstração de carinho são ótimos e todo mundo gosta! E, vamos combinar, ele é tão pai quanto você é mãe e tem todo o direito de cuidar do filho como você também cuida.

Portanto, a chave é não abandonar a relação com a chegada da maternidade. Com jeitinho, muito diálogo e algum preparo psicológico, vocês conseguem enfrentar esse tempo e saírem fortalecidos depois que a tempestade passar. Vai por mim!

Juliana Sá e Olívia - Mamãe Super Poderosa

Jú Sá

Blog Mamãe Super Poderosa

4 Comentários

Comentário e Respostas
  1. Adorei o texto já passei por tudo isso minha relação com meu marido começou a melhorar quando meu bebê já estava com quase 5 meses … E só ter passiencia que tudo vai se encaixar novamente. Bjs

  2. Super me endentifico com vc se assunto, estou com três meses que tive minha filha, e meu relacionamento mudou bastante, na verdade mudou desde a gravidez, somos só namorados, e por não moramos na mesma casa, acredito que estamos nos afastando ainda mais. ..Acho que não quero, que o relacionamento acabe, mais esta tudo tão diferente, que nem me sinto feliz .

    • Olá Thayane!
      É verdade que o fato de vocês não estarem morando juntos possa de certa forma tornar as coisas um pouco mais complicadas do que já são. Mas vale lembrar que vocês tem um ao outro e que isso deve ser reforçado entre vocês, em conversas, no dia a dia. Traga este pai para perto. Envolva-o. Vai fazer bem para vocês três. Tente não potencializar algo tendo a maternidade como válvula de escape, ok? Este momento inicial é mesmo muito delicado. Faz sentido essa insegurança que você sente, mas certamente irá passar. Tem muita mudança, muita novidade, fica tudo muito confuso mesmo. Mas olha, trazer esse pai para perto, abrir o jogo e conversar, é SEMPRE a melhor saída. Não guarde suas inseguranças só para você, ok?
      Espero tê-la ajudado! 🙂
      Depois me conta.
      Bjs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *